FORÇA FEMININA NO EMPREENDEDORISMO

 

As mulheres têm buscado seu protagonismo econômico e representam uma grande força econômica mundial. Chefiam lares e negócios, buscam conhecimento - são maioria nas universidades brasileiras -, aperfeiçoamento profissional e buscando sua independência financeira hoje já são mais de 24 milhões de empreendedoras no Brasil.

 

De acordo com dados do Sebrae, 44% delas empreendem por necessidade de ter uma nova fonte de renda ou para adquirir sua independência financeira e 47% das empreendedoras têm de 25 a 45 anos de idade.

 

Nossa intenção é incentivá-las a seguirem na busca pelo protagonismo, então vamos apresentar três histórias de sucesso no empreendedorismo feminino brasileiro.

 

A primeira é a mais conhecida, um exemplo de sucesso a todos: Luiza Helena Trajano, dona do Magazine Luiza. Depois de assumir a diretoria de uma pequena rede de lojas da família no interior de São Paulo, Luiza foi uma visionária ao apostar no e-commerce quando essa forma de vender ainda engatinhava no Brasil. Desde que a empresa abriu seu capital para investimento, valorizou-se em 1000% e hoje seu valor de mercado é R$ 37 bilhões.

 

Nosso segundo case é o de Sônia Hess, que assumiu a presidência do negócio que sua família tinha há 50 anos em Santa Catarina. Sua gestão intensificou investimentos em infraestrutura, tecnologia, gestão e impulsionou a marca Dudalina a ser a maior exportadora de camisas do país. Em 2014 a empresa anunciou a fusão com a concorrente Restoque e dobrou seu valor de mercado para R$ 1,7 bilhão.

 

O terceiro exemplo de protagonismo é o de Camila Farani. Ela é co-fundadora do grupo Mulheres Investidoras Anjo que incentiva mulheres empreendedoras. Também começou trabalhando dentro do negócio da família: uma tabacaria. Anos depois tornou-se sócia do negócio e logo empreendeu em seu negócio próprio. Hoje ela investe em mais de 30 startups e é uma das maiores referências em investimento anjo no Brasil.